Seminários EUROPASS CV JÚNIOR

 
Entre Outubro e Novembro de 2014, foram realizadas a nível nacional 7 sessões de divulgação do Projeto EUROPASS CV JÚNIOR.
 

FAZ AQUI O TEU CV

O Curriculum Vitae, uma expressão latina que se pode traduzir por “percurso de vida”, nada mais é do que uma história, que contamos aos outros (empregadores), sobre a nossa trajetória e as competências que adquirimos com ela. Por isso mesmo é importante que o teu ECV seja claro e exato e, sempre que possível, justifiques com experiências práticas toda a informação. Desta forma, em vez de “competências de trabalho em equipa” deves escrever “trabalho em equipa no âmbito do planeamento de eventos”, por exemplo.
 

Liderança

› Ser capaz de motivar e orientar outras pessoas.
 

Trabalhar em equipa

No mundo de hoje, têm emergido organizações menos hierárquicas que se manifestam em novas formas de trabalhar com outras pessoas: as equipas de projeto, o trabalho auto-gerido, as equipas de gestão autónoma e o coworking são alguns exemplos. Dar-se bem com os outros e saber trabalhar em conjunto são requisitos cada vez mais importantes. 
 

Comunicação

Uma comunicação verbal efetiva requer a capacidade de expressar ideias de uma forma clara, confiante e consciente, adaptando o conteúdo e estilo ao interlocutor ou à audiência, e promovendo uma comunicação interativa e livre.
 

Resolução de problemas

› Todos resolvemos problemas diariamente, em situações profissionais, académicas ou pessoais. 
 

Consciência e Atitude Comercial – Capacidade de Promover

Os empregadores sinalizam, em Inglaterra (e em Portugal, não é muito diferente) que o que mais falta aos recém-formados é “consciência/ atitude comercial”. O que se quer dizer com isso e como podes demonstrar que tens essa competência?
 

Competências

O conceito de competência, não sendo novo, sucede historicamente ao de qualificação que, ao constituir-se como antítese à divisão parcelar do trabalho, subjacente ao modelo de gestão taylorista, vincava a perspetiva das categorias profissionais específicas e seu enquadramento no mercado de trabalho. A diferenciação de funções assentava, essencialmente, na especificidade dos saberes associados, nomeadamente, ao grau escolar ou académico, enquanto a perspetiva das competências remete para o conjunto de recursos utilizados pelos indivíduos na atividade profissional e que integram os conhecimentos, as habilidades (saber-fazer) e as atitudes.
 

Empregabilidade

Nos nossos dias ouvimos falar, cada vez mais, em empregabilidade. Este conceito define a adequação do profissional às (novas) necessidades e dinâmicas do mercado de trabalho e emerge do desenvolvimento das novas tecnologias, da globalização da produção, da expansão da economia, entre outros fatores que vieram alterar as organizações, reforçando a importância da adaptação a estas novas realidades, por parte dos diferentes intervenientes.