TNSJ integra três espetáculos da edição deste ano do FITEI

  

Walking with Kylian. Never Stop Searching José Alfredo

O Teatro Nacional São João (TNSJ) associa-se uma vez mais ao Festival Internacional do Teatro de Expressão Ibérica (FITEI). Na edição de 2018, os espaços geridos pelo TNSJ acolhem três espetáculos: Walking With Kylián. Never Stop Searching (de Paulo Ribeiro), Pulmões (de Luís Araújo) e Mendoza (de Los Colochos Teatro). Nos dias 14 e 20 de junho, estão ainda agendadas conversas pós-espetáculo.

 

A "mão divina" de Kylián toca o TNSJ

Depois de A Festa (da insignificância) (2016), Sem um tu não pode haver um eu (2015) e Jim (2013), Paulo Ribeiro regressa ao TNSJ com a sua nova criação inspirada no coreógrafo checo Ji?í Kylián, considerado como uma das maiores referências da dança mundial do século XX. Walking With Kylián. Never Stop Searching é uma tentativa de descobrir e compreender o homem, mais do que a sua obra. "Queria aproximar-me da sensação que as suas peças me transmitem, dessa impressão de algo que se suspende no ar, uma linguagem mais esvoaçante, mais ágil e mais etérea", conta Paulo Ribeiro. O espetáculo vai estar em cena de 14 a 16 de junho no TNSJ.

A incerteza do futuro e a ansiedade permanente de uma nova geração

A vida não vem com um manual de instruções como as peças de imobiliário do IKEA. Um casal apercebe-se disso numa conversa casual sobre a possibilidade de ter um filho, na qual analisa todas as consequências cataclísmicas que tal decisão acarreta, especialmente numa era em que o terrorismo e o aquecimento são fenómenos globais e em que as crises económicas, políticas e humanitárias são sinais inquietantes de um futuro cada vez mais presente. Pulmões conta com encenação de Luís Araújo e parte da obra do dramaturgo britânico Duncan Macmillan. O espetáculo, que expõe as incertezas e as ansiedades de uma nova geração, sobe ao palco nos dias 16 e 17 de junho, no Mosteiro de São Bento da Vitória.

O Macbeth da revolução mexicana

Mendoza surge da adaptação de Macbeth, de William Shakespeare, ao contexto da revolução mexicana de 1910. O espetáculo – com encenação de Juan Carrillo e com produção da companhia Los Colochos Teatro – surgiu de um projeto de criação cénica desenvolvido ao longo de seis anos em vários bairros da Cidade do México e conta a história do general José Mendoza, que, instigado por uma velha curandeira e pela sua mulher, decide matar o seu superior hierárquico. Mesmo remetendo o texto de Shakespeare para uma moldura histórica de mais de cem anos, Mendoza é capaz de passar a imagem de um México violento e cru que ainda encontramos nos nossos dias. Uma estreia nacional para ver no dia 20 de junho, no TNSJ.