Bancário

  

Há uma multiplicidade de tarefas que podem ser desempenhadas por um bancário mas todas têm um traço em comum: lidar com dinheiro.

Funções: As funções de um bancário são muitas, até porque toda a gente que trabalha num banco
tem esta designação. Assim, em sentido lato, podemos dizer que elas consistem em prestar todo o
tipo de serviços relacionados com a gestão do dinheiro dos clientes.


Áreas de actuação: De uma forma muito abrangente, há três tipos de funções. Mesmo estas interligam-se e, na prática,
como os bancos apostam na polivalência dos funcionários, nem sempre se distingue onde começa uma
e acaba outra.
Administrativas - Acabam por ser quase todas. Por exemplo o “front-office” (todos os funcionários
“visíveis” do banco, embora esta denominação seja mais aplicada aos “caixas”) e o “gestor de contas”
(trata de forma mais personalizada as contas tanto de particulares como de empresas).
Específicas - Profissões que supostamente exigem um maior grau de especialização. Por exemplo, o
técnico de informática ou o técnico de marketing.
De enquadramento - Todas as funções de chefia.


Requisitos: Apurado sentido de responsabilidade e honestidade, gostar de lidar com números e ao
mesmo tempo com pessoas. Como é a primeira “imagem” de um banco, ser simpático, disponível e
atento são qualidades bastante valorizadas neste profissional, para lá de uma boa apresentação.


Onde exercer: Nas muitas dependências bancárias que existem pelo país fora.


Mercado de trabalho: Apesar de já se ter assistido a um crescimento mais acentuado, ao nível de
inserção de jovens no sector da banca ainda continua a ser um bom mercado no que respeita a saídas
profissionais.